Domingo, 20 de Junho de 2021 03:22
(67) 981719389
Cidades IVINHEMA MS

Mãe é presa após colocar veneno de rato na comida e comer com filha de 6 anos para 'chamar a atenção do ex'

Mulher foi escoltada para delegacia neste sábado (8) e confessou o crime. No depoimento, a delegada diz que ela não aceita o fim do relacionamento e queria chamar a atenção do antigo companheiro em MS.

08/05/2021 19h38
734
Por: Redacao Fonte: Graziela Rezende, G1 MS
Local onde a mãe manipulou o veneno e colocou em alimentos para ingerir com a criança, segundo a polícia — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Local onde a mãe manipulou o veneno e colocou em alimentos para ingerir com a criança, segundo a polícia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma mulher, de 34 anos, foi presa após colocar veneno de rato na comida e comer com a filha de 6 anos, em Ivinhema, a 298 km de Campo Grande. A mulher foi internada com a criança e, assim que teve alta médica, neste sábado (8), foi escoltada até a delegacia, onde confessou o crime e permaneceu presa, segundo afirmou ao G1 a delegada Daniella Nunes, titular interina no município e responsável pelas investigações.

Conforme a polícia, a suspeita alegou que não aceitava o fim do relacionamento com o antigo companheiro. Desde então, ela vinha fazendo ameaças, só que, na última quinta-feira (6), foi até uma empresa e comprou veneno de rato. Em seguida, colocou no suco e em um doce que comeu juntamente com a filha.

Durante a noite, por volta das 22h (de MS), ela se arrependeu e entrou em contato com o Corpo de Bombeiros. Ambas receberam atendimento médico e foram encaminhadas para um hospital de Dourados, na região sul do estado. De acordo com a delegada, quando soube dos fatos, o pai da criança foi até a unidade hospitalar.

"Ela comprou um veneno de rato e aí colocou em diversos alimentos para filha e ambas comeram tudo. Ao que nós soubemos ela já tinha tentado suicídio em outras ocasiões e dizia que iria cumprir e levar a filha junto, só que ela se arrependeu e ela mesmo acionou o Corpo de Bombeiros", afirmou a delegada.

Na ocasião, a delegada diz que conversou muito pouco com ela, porém, com a alta médico, houve o depoimento formal da suspeita. Antes, ao instaurar inquérito, Nunes já havia feito a oitiva tanto com o bombeiro que fez o atendimento médico, além do funcionário da empresa onde ela adquiriu o veneno e o policial que acompanhou as investigações.

"Estamos aguardando a oitiva do pai da criança e analisando a necessidade de ouvir ou não a menina, em depoimento especial. No depoimento, a mãe estava muito abalada. Ela já tinha recebido voz de prisão e responderá por tentativa de homicídio qualificado por uso de veneno", finalizou a delegada.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.