Domingo, 20 de Junho de 2021 02:14
(67) 981719389
Dólar comercial R$ 5,07 0.92%
Euro R$ 6,02 +0.62%
Peso Argentino R$ 0,05 +0.88%
Bitcoin R$ 192.040, +0.883%
Bovespa 128.405,35 pontos +0.27%
Porto Murtinho PORTO MURTINHO

Variante P.1 do coronavirus é identificada em Porto Murtinho

Cepa batizada de P.1 foi detectada em 03 casos em Porto Murtinho.

27/05/2021 12h59 Atualizada há 2 semanas
4.719
Por: Redacao Fonte: Porto Murtinho Notícias via SES
Reprodução Agartist
Reprodução Agartist

Os casos positivos e internações hospitalares bateram recorde neste mês de maio em Porto Murtinho, com a confirmação de 03 casos da variante P.1 a circulação do vírus tornou duas vezes mais contagiosa e altamente transmissível, o boletim epidemiológico emitido nesta quinta-feira 27 pelo governo do estado, confirmou a circulação da variante.

Com a nova variante do coronavírus circulando no Estado, o tempo médio de internação dos pacientes que morrem pela doença tem sido de apenas dois dias. O dados mostram como a nova variante P1 é perigosa, já que no início do ano, os pacientes ficavam em média duas semanas internados antes de morrer. Além da nova cepa, outros fatores que devem ser levados em consideração são o uso do 'kit de tratamento precoce', que não tem eficácia comprovada, e a demora na procura pelo atendimento.

 

Nova variante P1

No mês de março, o estado havia confirmado o primeiro caso da variante P.1 do coronavírus em Mato Grosso do Sul. O caso foi identificado em um paciente de Corumbá, ele havia ficado por vários dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Um estudo de epidemiologia genômica feito por cientistas brasileiros revela que pacientes infectados com a nova variante P.1, de origem no Amazonas, têm uma carga viral 10 vezes maior em secreções colhidas por amostras RT-PCR do que a média vista em cepas anteriores. Além disso, essa carga está também mais alta em homens e mulheres adultos com idade inferior a 60 anos. 

Veja a descrição das linhagens de SARS-CoV-2 detectadas em MS:

B.1.1.28: Linhagem brasileira;

B.1.1.33: Linhagem brasileira;

P.1: Linhagem brasileira surgiu em Manaus, variante descendente da linhagem B.1.1.28. Variante de preocupação, indicada por algumas pesquisas como altamente transmissível e maior potencial de gravidade;

P.2: Linhagem brasileira surgiu no Rio de Janeiro;

B.1.1.274: Inglaterra, Tailândia, Rússia e EUA;

B.1: Grande linhagem europeia cuja origem corresponde aproximadamente ao surto no norte da Itália no início de 2020; B.1.1: Linhagem européia;

B.1.1.247: antiga B.1.1.55 linhagem do norte da Europa, Norte da África e Gâmbia;

B.1.212: Linhagem Sul Americana;

B.1.240: Surgiu nos EUA;

N.4: Surgiu no Chile derivada da B.1.1.33.4;

B.1.1.44: Reino Unido, Dinamarca, Islândia;

A.2.5.2: Itália, EUA, Reino Unido.

Acompanhe aqui o Boletim

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.