Domingo, 17 de Outubro de 2021
20°

Poucas nuvens

Porto Murtinho - MS

Fronteira FRONTEIRA

Polícia do Paraguai volta atrás e nega 5ª morte em atentado em Pedro Juan Caballero

Raphaelli Alves do Nascimento, que teria sido morta, na verdade está internada no Hospital Regional de Ponta Porã, em estado estável e consciente. Ataque ocorreu no sábado e matou 2 brasileiras e 2 paraguaios.

12/10/2021 às 11h28
Por: Redação Fonte: Por João Pedro Godoy, G1MS
Compartilhe:
Reprodução Internet
Reprodução Internet

A polícia paraguaia voltou atrás e disse que não houve uma 5ª morte em decorrência do atentado ocorrido em Pedro Juan Caballero, na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai, na madrugada do último sábado (9).

A informação havia dada pelo chefe de investigação de Homicídios paraguaio, Hugo Grance, à TV ABC, do Paraguai, na manhã desta terça-feira (12). Pouco tempo depois, no entanto, outro responsável pela investigação, César Silgueiro, voltou atrás, em entrevista à mesma TV.

Segundo Silgueiro, o erro ocorreu por conta da morte de uma pessoa homônima do lado brasileiro.

"A informação que veio do Brasil era de que Raphaelli Alves do Nascimento, de 20 anos, tinha morrido, mas depois nos repassaram dizendo que quem faleceu era outra pessoa, de mesmo nome. Sim, esta vítima está ferida e está se recuperando, mas não morreu", afirmou.

Raphaelli está internada no Hospital Regional de Ponta Porã, em estado estável e consciente.

Outras vítimas

Além dessa pessoa, outras duas pessoas foram feridas no ataque estão internadas, segundo a polícia paraguaia.

Os mortos são as estudantes brasileiras Kaline Reinoso de Oliveira, de 22 anos, e Rhannye Jamilly Borges de Oliveira, de 18 anos; Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 21 anos, filha de um governador paraguaio, e Omar Vicente Álvarez Grance, de 32 anos, conhecido como Bebeto.

Segundo a polícia paraguaia, Bebeto era o alvo dos pistoleiros. Ele é suspeito de integrar no narcotráfico da região.

Os quatro estavam entrando em um veículo quando foram atingidos pistoleiros nas ruas Mariscal López e Ytororó, no bairro San Antonio

A suspeita, segundo a polícia do Paraguai, é que os outros feridos tenham sido atingidos por estarem perto das vítimas quando ocorreu o atentado.

Sete presos

Ao menos 7 pessoas foram presas nas investigações sobre o atentado. Seis são brasileiros que estavam em uma casa no bairro Maria Victoria, em Pedro Juan Caballero e foram encontrados na segunda-feira (11).

Na operação, também foram apreendidos três carros com documentos brasileiros referentes a outros três automóveis, celulares, joias e um recipiente com 74 gramas de maconha, segundo a polícia paraguaia.

Equipes do Departamento Regional de Investigação de Atos Puníveis da Polícia Nacional foram ao local após terem a informação de que um caminhão utilizado no ataque havia sido incinerado nas últimas horas na colônia Fortuna Guazú.

Outro suspeito foi preso no domingo (10) após perseguição que envolveu policiais paraguaios e brasileiros.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Porto Murtinho - MS Atualizado às 02h29 - Fonte: ClimaTempo
20°
Poucas nuvens

Mín. 18° Máx. 30°

Seg 29°C 19°C
Ter 35°C 22°C
Qua 37°C 24°C
Qui 37°C 24°C
Sex 35°C 21°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete