18°C 35°C
Porto Murtinho, MS

Bebê nasce e morre no mesmo dia vítima da dengue no Paraná

Caso de bebê que morreu no Paraná com dengue causou dúvidas sobre como a doença transmitidas pelo Aedes Aegypti pode chegar ao útero

27/06/2024 às 20h55
Por: Redação Fonte: Metrópoles
Compartilhe:
Christiana Bella
Christiana Bella

O boletim epidemiológico do Paraná publicado nessa terça (25) aponta que um bebê nascido em Toledo morreu horas após o parto vítima de dengue. A menina nasceu em 25 de abril e faleceu no mesmo dia. O documento também esclarece que a bebê nasceu com comorbidades e que a mãe dela também estava infectada com o vírus da dengue.

O caso da morte da bebê com apenas um dia de vida causou dúvida em várias futuras mamães sobre como a dengue pode chegar ao feto durante a gestação, já que o bebê não tem contato direto com o mosquito Aedes aegypti.

O contágio nesses casos ocorre pela interação da corrente sanguínea da mãe infectada com a do bebê, e se ocorre perto da data do parto, o vírus se mantém ativo durante o momento do nascimento.

O contato com o vírus da dengue pode ocorrer tanto através da placenta como no momento do parto com o sangue materno. No caso paranense, porém, não foi possível determinar qual o momento de contágio: entretanto, o mais provável é que ele tenha ocorrido ainda dentro do útero.

Na maioria das vezes que há contato com o vírus, o bebê não manifesta sintomas. Eles costumam ter uma proteção extra contra a forma grave da doença, já que ela costuma acometer as plaquetas, células muito abundantes no sangue de um recém-nascido.

É atacando essas células que o vírus da dengue atrapalha o processo de coagulação sanguínea e causa as características hemorragias da dengue grave. Como há o dobro dessas células no corpo do bebê, ele costuma passar pela infecção de forma assintomática.

Por isso, os especialistas acreditam que as comorbidades com as quais a criança nasceu (e que não foram detalhadas pela Secretaria de Saúde paranaense) podem ter tido um papel crucial na morte do bebê. Além disso, a mãe já estava internada há mais de uma semana com sintomas de dengue grave que podem ter acelerado o parto, ocorrido com 37 semanas.

Dengue pode ser ainda mais perigosa para a gestante
Na maior parte das vezes, a dengue grave é mais perigosa para a gestante que para o bebê. Grávidas têm até quatro vezes mais risco de morte quando contraem a dengue do que a população normal e muitas vezes o quadro pode levar a partos prematuros que também matam o feto: a mortalidade dos bebês é três vezes maior nesses casos.

Por isso, a recomendação é que futuras mamães, ante qualquer sintoma da dengue, procurem um hospital. Caso a doença seja confirmada no terceiro trimestre da gravidez, é preciso internar a paciente por ao menos dois dias (mesmo que os sintomas sejam leves) para fazer acompanhamento.

“Qualquer dor abdominal e aumento na frequência dos vômitos já indica complicação da doença em mulheres grávidas. Desmaios, sangramentos, alterações de consciência, irritação, agitação e sonolência também são indicativos de que a dengue pode estar ganhando gravidade e devem ser alertas para a busca imediata de atendimento médico”, aconselhou o professor de medicina Fabio Fernandes Neves, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em entrevista anterior ao Metrópoles.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Porto Murtinho, MS
30°
Tempo limpo

Mín. 18° Máx. 35°

29° Sensação
2.5km/h Vento
27% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
07h28 Nascer do sol
06h27 Pôr do sol
Dom 35° 19°
Seg 36° 18°
Ter 38° 20°
Qua 38° 20°
Qui 39° 20°
Atualizado às 10h05
Economia
Dólar
R$ 5,60 +0,00%
Euro
R$ 6,10 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,63%
Bitcoin
R$ 395,845,13 -1,01%
Ibovespa
127,616,46 pts -0.03%
Publicidade