Banner Assembléia Legislativa 2020 ALMS MAIS
Porto Murtinho MS

Com decretos, famílias circenses ficam ‘presas’ Porto Murtinho e temem corte de água e luz

Os decretos foram realizados para contenção do coronavírus

21/03/2020 11h18Atualizado há 2 semanas
Por: Redacao
Fonte: Dândara Genelhú
887
A estrutura de tenda do circo já está desmontada e famílias correm o risco de ficar sem água e energia. Foto: Tarciso Borges.
A estrutura de tenda do circo já está desmontada e famílias correm o risco de ficar sem água e energia. Foto: Tarciso Borges.

Com as medidas de contenção do coronavírus, decretadas em Mato Grosso do Sul, famílias que trabalham em circos itinerantes se preocupam com o período de quarentena. Com a proibição dos espetáculos, devido as aglomerações, os circenses perdem a única forma de renda que possuem.

Atualmente em Porto Murtinho, o circo Astros conta com cinco famílias, que totalizam 12 adultos e três crianças. Além da medida de contenção que proíbe eventos com aglomerações, no município foi decretado toque de recolher.

O responsável pelo circo, Tarciso Borges, comenta que a maior preocupação é o corte de energia e água do local em que estão instalados. “A energia eles já vieram cortar hoje, tive que pedir para não cortarem e esperarem até segunda-feira (23), mas segunda eu acredito que eles cortem de verdade”, conta.

Tarciso diz que a previsão era sair da cidade no dia 17 de março, mas com os decretos tiveram que desmontar a estrutura do circo antes do previsto. Com a voz trêmula, o circense lamenta a temporada de espetáculos interrompida. “As outras cidades que programamos de parar com o circo também estão com decretos e nenhuma quis liberar para gente se fixar, então temos que ficar aqui mesmo”.

O circo enviou uma solicitação a Secretaria Municipal de Assistência Social de Porto Murtinho, para que a energia e água não fossem cortadas. Segundo o responsável pelas famílias, até o momento da publicação desta reportagem, não houve nenhum retorno da prefeitura.

Em conversa com a Secretária de Assistência Social do Município, ela informou que equipes da secretaria já foram até o local e providenciou alimentos e também a permanência de toda a família e equipe no local. "A preocupação deles era com a licença para permanência e já foi resolvido diante da secretaria de infraestrutura".

Preocupado com a falta de água e luz para as famílias, Tarciso se mostra preocupado com a recepção em outras cidades, caso sejam forçados a se locomoverem. “Temos medo até de chegar a ir para outras cidades e receber represálias da população, que pode ter medo da gente estar com esse vírus, por chegar de outra cidade”, admite.

Com três crianças que dependem das famílias, o circense comenta que se mantém informado para tentar pensar no futuro próximo, mas não obtém muito sucesso. “Meus funcionários até me perguntam o que vamos fazer, mas eu não sei o que dizer para eles, não sei como vai ser a situação nos próximos dias”.

O ator global e circense Marcos Frota fez um pedido aos prefeitos. “Prefeitos e prefeitas, considerando o grave momento em que vivemos, a concessão do terreno, da água e da luz, pode significar a sobrevivência das famílias que moram e trabalham nos circos”.

Outros dois circos estão na mesma situação em território sul-mato-grossense. O circo Hermanos Rodriguez, em Glória de Dourados, e o circo Family, em Sanga Puitã.

Para qualquer tipo de doação, entre em contato pelo telefone (44) 9948-7373

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.