Terça, 04 de Agosto de 2020 19:04
(67) 996972768
Polícia ESTUPRO

Pai de santo é preso suspeito de estuprar fiéis em rituais religiosos

Ele teria feito ao menos seis vítimas

21/07/2020 06h45
128
Por: Redacao Fonte: Renan Nucci
Ilustrativa
Ilustrativa

Um homem de 29 anos, que se apresentava como pai de santo, foi preso nesta segunda, 20, em Curitiba, capital do Paraná, suspeito de enganar, estuprar e manter sob cárcere privado mulheres que buscavam ajuda para resolver problemas espirituais e financeiros.

A prisão atendeu pedido apresentado pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Infrações Penais Contra Crianças, Adolescentes e Idosos de Curitiba.

Os investigadores afirmam que os estupros ocorriam durante os rituais religiosos em uma casa de oração no bairro Pinheirinho, na zona sul da capital. As vítimas, incluindo uma adolescente de 14 anos, seriam pressionadas a “aceitar” os abusos sob a justificativa de que desse modo alcançariam a “cura para os males que apresentavam”. Umas das mulheres abusadas chegou a ficar grávida do pai de santo, segundo informou a promotoria.

A denúncia diz ainda que pelo menos duas vítimas chegaram a ser mantidas em condição análoga à escravidão e submetidas, por meio de coação, a trabalhos forçados com jornadas de até 20 horas.

A esposa do suposto líder religioso também foi presa por coautoria na prática do crime de violação sexual mediante fraude, já que, segundo depoimentos colhidos pelo Ministério Público paranaense, ela preparava as vítimas para os rituais religiosos “tendo plena consciência de que seria praticada violência sexual”.

Já o homem foi denunciado pelos crimes de charlatanismo, estupro, sequestro, cárcere privado, redução à condição análoga à escravidão e violação sexual mediante fraude.

Segundo a Polícia Civil do Paraná, seis mulheres que se apresentaram como vítima do “pai de santo” já foram ouvidas pelos agentes.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.