Domingo, 29 de Novembro de 2020 13:08
(67) 98171-9389
Dólar comercial R$ 0, %
Euro R$ 0, +%
Peso Argentino R$ 0, +%
Bitcoin R$ 0, +%
Bovespa 0, pontos +%
Porto Murtinho PORTO MURTINHO

Desmatamento investigado pela PF faz parte da reserva Indígena Kadwéu, em Porto Murtinho

Operação Ceucis identificou que terra indígena era usada para atividade pecuária sem licença e extração ilegal de madeira

22/10/2020 08h17 Atualizada há 1 mês
525
Por: Redacao Fonte: Lucia Morel
Policiais ainda estão em diligências para cumprimento de mandados de busca e apreensão. (Foto: Divulgação PF)
Policiais ainda estão em diligências para cumprimento de mandados de busca e apreensão. (Foto: Divulgação PF)

A área desmatada da Reserva Indígena Kadwéu, em Porto Murtinho, seria usada para atividade de pecuária sem licença ambiental e com extração ilegal de madeira.

É o que informou o delegado Alexandre Fresneda de Almeida, da Polícia Federal, responsável pelas investigações da Operação Ceuci, que ainda não identificou quantos hectares foram atingidos.

Dos 30 mandados de busca e apreensão, somente um não foi cumprido com sucesso por questões de segurança, diante da presença de indígenas no local. Mesmo assim, deverá ser cumprido posteriormente. Não há ainda a contabilização dos bens apreendidos até o momento.

Deflagrada esta manhã, a operação investiga quatro tipos de crimes ambientais: impedir ou dificultar a regeneração natural de florestas e demais formas de vegetação; desmatar, explorar economicamente ou degradar floresta em terras de domínio público sem autorização do órgão competente; construir estabelecimentos potencialmente poluidores, sem licença dos órgãos ambientais competentes; e por fim, invadir, com intenção de ocupá-las, terras da União.

Cada um dos crimes investigados tem uma pena diferente, que vão desde detenção de seis meses a quatro anos, além de multa.

A PF não informou quantas pessoas, nem se produtores rurais são investigados. Indígenas, não têm nenhum envolvimento e seriam apenas a parte prejudicada com as ações ilegais.

Ceuci - As investigações começaram em junho de 2019 e visam apurar a ocupação e exploração de áreas indígenas além de crimes ambientais decorrentes de desmatamento. Segundo a PFm todos os 30 mandados foram expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande e são cumpridos nas cidades de Miranda, Bodoquena e Campo Grande.

Além de 110 policiais federais, a operação conta com o apoio do Exército Brasileiro, através da disponibilização de aeronaves, e de servidores do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.